14/07/2015 às 10h48min - Atualizada em 14/07/2015 às 10h48min

Operação Top Five prende 17 pessoas em Colíder

Olhar Cidade

Trinta mandados judiciais foram cumpridos pela Polícia Judiciária Civil, na operação “Top Five”, desencadeada na manhã de domingo (12.07), no município de Colíder (650 km ao Norte).

A operação resultou na prisão de 17 pessoas, apreensão de 3 armas de fogo tipo espingardas, cerca de 1 quilo de entorpecentes, entre pasta base de cocaína e maconha, 25 munições, além 1 banana de dinamite.

A ação foi realizada em parceria com o efetivo das Delegacias de Polícia Nova Canaã do Norte (699 km ao Norte), Matupá (695 km ao Norte) e Peixoto de Azevedo (691 km ao Norte), para o cumprimento de 24 mandados de busca e apreensão domiciliar e 6 mandados de prisão.

Três suspeitos também foram detidos e autuados no termo circunstanciado de ocorrência (TCO) por uso de entorpecente.

As 17 pessoas presas foram autuadas pelos crimes de tráfico de drogas, posse ilegal de armas de fogo e munições, e posse de explosivo não autorizado. “São prisões em decorrência de mandados de prisão, autos de prisão em flagrante e termos circunstanciados de ocorrência”, disse o delegado Fabiano Pitoscia.

Entre os presos, estão duas pessoas envolvidas por furtos com uso de explosivos, em caixas eletrônicos de bancos da cidade.

Eles respondem por associação criminosa e furto qualificado.

O artefato de explosivo foi apreendido em uma residência na cidade de Peixoto do Azevedo. O restante do material apreendido, como droga, armas e munições foram localizados em Colíder.

A operação contou com a participação de 80 policiais civis coordenados pelo delegado de polícia, Ruy Guilherme, Fabiano Pitoscia, e pelo Delegado Regional de Alta Floresta, Rodrigo Bastos da Silva, além do apoio das Delegacias Regionais de Sinop, Peixoto de Azevedo, Diamantino e Juína.

Top Five – A operação “Top Five” é realizada por todas as delegacias de polícia do Estado, para o cumprimento de investigações envolvendo as cinco maiores lideranças criminosas da localidade, dentro de modalidades diversas de delitos, que mais estejam causando insegurança na região. As unidades, no prazo de 50 dias, a partir de 20 maio de 2015, deverão cumprir ordens judiciais, como prisão dos líderes e comparsas, desarticulando a atividade criminosa chefiada pela liderança presa.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você acredita que a nova Gestão 2017 de Peixoto de Azevedo vai ser melhor que a atual?

40.0%
40.0%
20.0%